05/04/2017 às 15h39min - Atualizada em 05/04/2017 às 15h39min

Merenda Escolar: Itatiaia oferece alimentação diferenciada para alunos com restrições alimentares

 Os alunos da Rede Municipal de Ensino de Itatiaia que apresentam restrição alimentar como  intolerância à lactose ou glúten e também aqueles que apresentam problemas como diabetes, obesidade ou alergias  contam com um cardápio diferenciado nas unidades escolares. Todo o trabalho é acompanhado pelo Departamento de Merenda Escolar.
 
Para atender os estudantes que precisam de um cardápio diferenciado, é necessário que a família leve um laudo médico atualizado às unidades de ensino.
 
A coordenadora do serviço de nutrição escolar, Maria Luiza Adeo, explica que no início de cada ano letivo o setor solicita a direção das escolas e creches o envio de atestado médico dos alunos com restrição alimentar para que seja feita as orientações e adaptações do cardápio dos alunos.
 
 - Atualizamos esses números periodicamente, mas de acordo com o último levantamento temos uma média de 30 alunos atendidos com merenda diferenciada. Para esses estudantes que necessitam de atenção nutricional individualizada é preciso que os pais encaminhem a escola esse laudo, uma vez que o cardápio semanal é elaborado com base nas recomendações médicas e nutricionais – explica a coordenadora do serviço de nutrição escolar, Maria Luiza.
 
A coordenadora conta que todo o trabalho é realizado com base no Manual de Orientação sobre a Alimentação  Escolar enviado pelo PNAE  - Programa Nacional de Alimentação Escolar, que é gerido pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).
 
 - Orientamos a Rede Municipal na compra de alimentos apropriados a cada tipo de patologia, por exemplo, o leite de soja para os alunos com restrição à lactose, farinha apropriadas para aqueles que apresentam intolerância ao glúten e a substituição de açúcar por adoçante para aqueles que são diabéticos. Mas vale lembrar que também contamos com a parceria dos pais, que muitas vezes optam em trazer alguns itens específicos da dieta de seus filhos – relata à coordenadora de nutrição escolar.
 
No caso dos alunos que sofrem de obesidade também é feito um trabalho de reeducação alimentar para que os estudantes aprendam a se alimentar com a quantidade certa de cada tipo de alimento liberado na sua dieta.
 
Visita as Unidades de Ensino
 
 Além de elaborar um cardápio específico para cada patologia, duas vezes na semana a equipe de nutricionistas comparece as escolas para orientar as merendeiras quanto à preparação do cardápio e cumprimento das normas de segurança alimentar.
 
 - Temos três nutricionistas que se  dividem nas visitas realizadas as unidades de ensino. Lá elas conferem se os cardápios estão sendo preparados corretamente e verificam as questões de higiene e acondicionamento dos alimentos. Elas ainda repassam orientações e verificam as demandas. Depois todo esse levantamento é descrito em um relatório que serve de parâmetro para a melhoria do trabalho - reforça Maria Luiza.
 
O serviço de Alimentação Escolar conta com a fiscalização do CAE – Conselho de Alimentação Escolar, formado por  representantes do Executivo, professores, pais de alunos e entidade civil organizada. 
 
 Repasses do Governo Federal
 
Atualmente, o município conta com 5.028 alunos e todos recebem em média duas refeições diárias. O trabalho atende a Resolução nº 26/2013 estabelecida pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e que dispõe sobre o atendimento da alimentação escolar aos alunos da educação básica no âmbito do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). Para a compra da merenda escolar, o município recebe recursos federais provenientes do PNAE com base no Censo Escolar do ano anterior, porém é a Prefeitura que  investe a maior parte com a contrapartida para as compras. Os valores enviados pelo Governo Federal são realizados de acordo com a modalidade de ensino e variam de R$ 0,36 a R$ 1,07 por aluno ao dia. 
 
 
 
 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »