11/11/2020 às 10h55min - Atualizada em 11/11/2020 às 10h55min

Meio Ambiente alerta para período reprodutivo de gambás

De acordo com dados do setor de Vigilância Ambiental e Horto Florestal, este ano foram resgatados, com vida, 34 gambás, no município.

PMI
Durante a primavera e verão ocorre a reprodução de diversas espécies nativas silvestres, em especial de gambás, que em nossa região é representado pela espécie Didelphis aurita também conhecido como gambá-de-orelha-preta.
 
Por isso, o Horto Florestal de Itatiaia, ligado à Secretaria de Meio Ambiente, alerta e solicita a ajuda da população, pois em função dos cuidados com os filhotes, esses animais se tornam mais vulneráveis. Segundo Eliana Gouvêa, bióloga do Horto Florestal, muitos são encontrados mortos, atropelados e feridos.
 
- Com o crescimento dos centros urbanos, reduzindo e tornando as cidades cada vez mais próximas do habitat das espécies silvestres, é comum encontrar gambás revirando lixo e buscando frutos em árvores. Ao tentar espantá-los, as pessoas, muitas vezes, acabam por machucá-los levando-os a óbito – explicou.
 
Ainda de acordo com Eliana, os gambás são animais marsupiais, assim como os coalas e cangurus, e importantes ecologicamente por dispersarem sementes de frutos e controlarem a população de outros animais: insetos, escorpiões, cobras, carrapatos. Durante o dia ficam escondidos em abrigos protegidos, e a noite saem à busca de alimento.
 
- Recomendamos vedar aberturas de forros e telhados, e eliminação de quaisquer possíveis esconderijos no quintal, pois podem servir de abrigo. O lixo deve estar sempre bem acondicionado de maneira que os gambás não tenham acesso. Deve-se evitar deixar sobras de ração durante o dia, e principalmente, à noite, em área externa a residência, pois além de atrair gambás podem servir de alimento para ratos, baratas e outros animais transmissores de doença. Além disso, é preciso evitar a aproximação de cães, pois eles podem caçar os gambás – destacou Eliana, acrescentando que os animais silvestres se defendem quando são agredidos, precisam ser protegidos e respeitados como todo ser vivo – disse.
 
Animais silvestres são protegidos por lei e qualquer pessoa que infrinja essa legislação pode ser responsabilizada pela Lei Federal nº 9.605/1998, Lei Estadual 8145/2018 e Lei Municipal nº 38/2017 (Código Municipal de Meio Ambiente).
 
Se encontrar um gambá ferido ou que precise ser resgatado, entre em contato com o Horto Florestal (3352-1405) ou com a Secretaria de Meio Ambiente (3352-6740) ou com a Vigilância Ambiental (3352.4243) para que possamos resgatar o animal, e encaminhá-lo para o Zoológico de Volta Redonda ou Centros de Triagem de Animais Silvestres do IBAMA.
 
Atualmente o trabalho de resgate de animais vem sendo realizado em uma parceria da Vigilância Ambiental em Saúde (SMS) e o Horto Florestal (SMMA). De acordo com dados do setor de Vigilância Ambiental e Horto Florestal, este ano foram resgatados, com vida, 34 gambás, no município.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »